CASAMENTO, padrinhos e madrinhas

Posso interferir no traje das Madrinhas e dos Padrinhos?

18 de agosto de 2017

É comum hoje em dia a noiva querer um casamento com a sua cara e totalmente diferente dos demais e a escolha do tipo e cor da roupa influencia e muito do visual pensando nisso até aí não há tudo bem, afinal de contas o casamento é seu… o problema é quando o pedido da noiva acaba virando um imposição. É preciso estar ciente das condições financeiras de cada madrinho/padrinho, é sempre bom conversar abertamente e expor suas ideias para que todos encarem como uma diversão. Lembre-se que se houver muita exigência ou custo elevado para os trajes, é de responsabilidade da noiva arcar com as despesas então seja moderada em suas escolhas.

Impor determinada cor ou modelo pode deixar alguma madrinha chateada ou constrangida por saber que não ficará bem naquele vestido, ela não se sentirá bonita e pode até acabar desistindo de ser madrinha. Para os padrinhos, não é diferente, exigir roupas que não são habituais pode deixá-los com vergonha ou desconfortáveis. Segue abaixo algumas dicas para facilitar a sua escolha.

Comprar o tecido
O que você pode fazer para facilitar a vida de todo mundo é comprar o tecido e entregar às madrinhas para que cada uma faça o modelo que quiser, assim todas estarão à vontade e combinando.

Alugar os trajes na mesma loja
Para os padrinhos, você pode indicar uma única loja para eles alugarem o traje, assim não haverá diferença de tom da calça ou gravata.

Comprar as gravatas Outra dica é comprar você mesma as gravatas dos padrinhos e presenteá-los exigindo apenas um terno cinza, por exemplo.

Uma cor em diferentes tonalidades
Para as madrinhas também vale escolher uma cor e deixa o modelo e a tonalidade a escolha delas.

Cada uma com um cor
Você também pode deixar elas escolherem a cor do vestido desde que não se repita, para isso vale criar um grupo de e-mails ou blog para que elas mesmas possam se comunicar mais facilmente.

Imagem (via)

0 comentários
Compartilhe:
CASAMENTO

15 Dicas pra quem pensa em fazer a festa de casamento em restaurante

16 de agosto de 2017

Todo mundo que sonha em casar de véu e grinalda sabe que uma festa custa caro, há quem abra mão desse sonho em prol de outras prioridades mas há uma solução simples para quem faz questão da festa… é fazer a recepção em um bom restaurante. Dá pra economizar bastante já que você não terá valor de aluguel do salão nem com banda ou DJ uma vez que, os restaurantes costumam ter música ambiente ou músicos da casa já contratados.

É bom pesquisar alguns restaurantes e marcar de ir lá conversar pessoalmente sobre as “regras” do local e expor suas expectativas pois alguns estabelecimentos já estão acostumados com esse tipo de evento e já possuem pacotes específicos outros podem se adequar… muitos não fecham o local só para seu casamento, apenas reserva um lugarzinho lá dentro conforme o número de convidados então é importante conversar e exigir tudo no contrato.

Você pode fazer a reserva com a mesma antecedência de um buffet e conversar sobre pratos específicos, se o cardápio do restaurante for muito simples você pode incrementar e se for muito caro ou elaborado você pode simplificar. Também da pra conversar sobre decoração, alguns restaurantes já são lindos por si só mas sempre dá pra melhorar, falo por experiência própria pois fiz meu noivado em uma pizzaria e ficou lindooo.



Veja aqui algumas dicas:

1 – encomende alguns arranjos de flores para as mesas
2 – alugue ou faça você mesma alguns sousplat para apoiar os pratos
3 – coloque algumas velas e castiçais em pontos estratégicos
4 – troque os copos comuns por taças
5 – coloque alguns porta retratos com fotos do casal espalhados pelo local
6 – capriche no bolo e deixe-o em um ponto estratégico
7 – encomende os bem casados e dê aos convidados como faria em um buffet
8 – não se esqueça do brinde com champanhe
9 –  passe um livro de assinaturas ou árvore de digitais
10 – capriche nas fotos, contrate um bom fotógrafo e explore cada cantinho do restaurante como jardim, recepção…
11 – verifique se há estacionamento no local, se é gratuito ou não aos seus convidados
12 – alguns restaurantes permitem fazer até mesmo a cerimônia no local, por isso é bom consultar antes.
13 – combine como será o corte do bolo e peça para os garçons servirem os convidados.
14 – converse sobre as bebidas, você pode deixar os convidados pedir o que quiserem ou estabelecer antes o que será servido para não ter surpresa com gastos.
15 – deixe para quitar o restante do pagamento no final da festa pois alguns convidados poderão não comparecer e geralmente esse serviço também é cobrado por pessoa.

0 comentários
Compartilhe:
CASAMENTO

Regime de Bens – Entenda como funciona cada um deles

15 de agosto de 2017

Ninguém se casa pensando em se separar mas o dia de amanhã é uma incógnita então não tenha medo ou vergonha de conversar sobre esse assunto antes do casamento com seu conjugue para não gerar frustrações ou desagradáveis surpresas futuras. O casal é livre para escolher o regime que melhor se aplica a eles e caso cheguem ao cartório sem ter pensado nisso antes, a lei determina que se aplique automaticamente a comunhão parcial de bens. Casais que vivem juntos, mesmo sem estarem casados no papel, também aplica-se automaticamente o regime de comunhão parcial de bens. Também é importante lembrar que o atual Código Civil admite alteração do regime de bens durante o casamento desde que ambos concordem.

  • Comunhão universal de bens
    Indicada para casais que vão começar uma vida do zero, ou seja… ninguém tem nada e vão comprar tudo  juntos depois do casamento, seja pra carro, moto, casa, apartamento.. pois no caso de separação, tudo vai ser dividido meio a meio independente de em qual nome foi registrado o bem.
  • Comunhão parcial de bens
    Indicada quando um dos dois já possuem bens materiais antes do casamento… mesmo que os dois ajudaram a comprar, vale o que está no papel, (está em nome de quem?). Se por ventura uma separação acontecer, cada um sai com aquilo que é seu por direito.
  • Separação total de bens
    O cônjuge não pode se desfazer de um bem, mesmo particular, sem que o outro concorde.
  • Participação final nos aquestos
    Os bens que o casal tinha antes do casamento e os que adquiriam depois do casamento permanece próprio de cada um como se fosse uma separação total de bens mas em caso de divórcio ou óbito, os bens que foram adquiridos durante o casamento serão partilhados em comum.

Fonte (via)

0 comentários
Compartilhe: